Janeiro foi o quinto mês mais quente desde 2000, com a temperatura máxima mais alta dos últimos 90 anos sendo registrada em janeiro.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a temperatura média do ar situou-se nos 9,5ºC no mês passado, o quinto valor mais elevado desde 2000.

Os valores diários de temperatura máxima foram quase sempre superiores ao valor médio mensal, com destaque para os períodos compreendidos entre os dias 1 a 3 e 27 a 31 de janeiro, em que se registaram desvios superiores a 4ºC.

Por outro lado, desde 1931, não houve um janeiro com temperatura máxima média tão elevada, pois atingiu 15,29 C, 2,20 C a mais que o valor normal registrado no período 1971-2000.

A temperatura média mínima do ar foi de 4,02 C, inferior ao normal (menos 0,52 C) e, segundo o IPMA, apesar de ter começado com valores acima da média, foi quase sempre inferior a partir do dia 13, com destaque para o período de 17 a 26 de janeiro.

Quanto à precipitação, o mês passado foi o sexto mais seco em 90 anos e o segundo pior desde 2000, superado apenas por janeiro de 2005.

O relatório do IPMA acrescenta que a quantidade média de precipitação foi muito inferior à normalmente registada entre 1971 e 2000, correspondendo a apenas 12%.

“Houve um agravamento muito significativo da situação de seca meteorológica, com aumento de área e intensidade, com todo o território em seca no final do mês com 1% em seca leve, 54% em seca moderada, 34% em seca severa seca e 11% em seca extrema”, diz o instituto.

Em relação ao percentual de água no solo, houve queda significativa em relação ao final de dezembro, e o IPMA destaca valores abaixo de 20% nas regiões Nordeste e Sul.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.