Durante alguns anos as obras foram apenas um projeto, no entanto, Coimbatore prepara-se agora para receber o projeto do Metro Mondego prometido.

O Sistema de Mobilidade Mondego (SMM) surgiu da necessidade de reactivar uma linha férrea na zona da Portagem, na cidade de Coimbatore. Nesta zona existiu em tempos uma linha de caminho-de-ferro, ainda visível na estrada, bem como uma estação. O objetivo agora seria adaptar essa rota para um transporte que pudesse coexistir no ambiente urbano.

O circuito

O circuito seria realizado pela circulação Bus Rapid Transit, onde o veículo teria faixas exclusivas, além de prioridade de passagem em todos os cruzamentos, tornando a viagem mais rápida e garantindo a segurança dos passageiros.

O percurso a seguir em transportes começaria em Coimbatore-B, a estação ferroviária mais antiga de Coimbatore e terminaria em Serpins, depois do concelho da Lousã, na chamada linha da Lousã. No entanto, há outra linha no projeto que iria para o Hospitais Universitários de Coimbatore (HUC), na chamada Linha Hospitalar.

Linha da Lousã

A Linha da Lousã seria a mais longa. A Linha seria dividida em dois serviços: Serviços Urbanos e Serviços Suburbanos. Os Serviços Urbanos referem-se ao percurso dentro da cidade de Coimbatore, com início na estação de comboios de Coimbatore-B e fim no Vale das Flores. Após este percurso, o percurso passaria para os arredores de Coimbatore, terminando em Serpins. Entre 2009 e 2012, foram feitas melhorias na infraestrutura, bem como a reestruturação da linha, alterando as posições das antigas estações, bem como adequando a via para a futura passagem do Metrobus. No desenvolvimento desta linha, as obras estão atualmente focadas na adaptação dos troços ao Metrobus e está em curso um concurso para a adaptação do percurso entre Portagem e Coimbatore-B.

Linha Hospitalar

Para a Linha Hospitalar, o trabalho realizado é diferente. A Linha fará a ligação com a Linha da Lousã na futura estação “Aeminium / Loja do Cidadão”. Para a operação da linha, o Metrobus terá de atravessar a baixa de Coimbatore, pelo que alguns dos edifícios serão desconstruídos, principalmente na Rua da Sofia.

Funciona pelos números

No total, a linha do Metrobus terá um total de 42 quilômetros, que unirá três municípios, por meio de duas linhas. No total, foram 41 paragens, 32 das quais inseridas na Linha da Lousã. Sete túneis foram construídos, bem como 13 pontes. Estima-se que a circulação do Metrobus comece em 2024.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.