Trabalhadores do setor de petróleo fazem greve na Argentina em meio a crise salarialO sindicato dos trabalhadores do setor de petróleo da Argentina disse na quarta-feira que fará uma greve de 24 horas em meio a um impasse sobre aumentos salariais com um grupo dos maiores produtores de petróleo do país, incluindo empresas da extensa reserva Vacca Muerta.

Trabalhadores do Sindicato Especial do Petróleo e Gás de 24 mil membros em Rio Negro, Neukin e La Pampa exigem um aumento adicional de 30% em seus salários para 2020, acima dos 15% já acordados em outubro, para acompanhar a inflação galopante que varre país.

“Não houve oferta na mesa de negociações”, disse o líder sindical Guillermo Pereira em um comunicado. “Após cinco reuniões malsucedidas, iniciamos o encerramento total das atividades.”

A medida é mais um golpe para as operações de Vaca Muerta, que viu a produção e outras atividades paralisadas devido a protestos de trabalhadores da saúde que bloquearam estradas para reivindicar melhores salários.

A Argentina precisa aumentar a produção em Vaca Muerta, uma das maiores reservas de óleo de xisto do mundo, a fim de reduzir suas importações de energia enquanto o governo busca exportar dólares para proteger as reservas do banco central.

Um protesto de trabalhadores de saúde na região da Patagônia já começou a ameaçar o fornecimento de combustível para a maior parte do país.

A estatal argentina YPF está entre as principais empresas que atuam na região. YPF não quis comentar sobre os protestos.

By Dinis Vicente

"Nerd de TV. Fanático por viagens. Fanático por mídia social aspirante. Defensor do café. Solucionador de problemas."

Leave a Reply

Your email address will not be published.