O secretário-geral da Associação Médica Portuguesa Independente (SIM) acusou no sábado o governo de “propaganda” em torno do seu plano de vacinação, afirmando que há muitas pessoas na linha da frente do combate à pandemia que ainda não foram vacinadas.

“Esta postura de dizer que vai vacinar os professores … é inútil e absolutamente não descrita” quando se sabe que muitas pessoas na linha da frente ainda não foram vacinadas ”, disse Jorge Roque da Cunha à agência Lusa.

Roque disse à Da Cunha Lusa no final de um congresso que apenas cerca de 75 a 80% dos médicos, 20% dos guardas de polícia e cerca de 25% dos bombeiros foram vacinados.

Ele acrescentou: “É inútil, não vale a pena. Não faz sentido apenas tirar a foto e deixar centenas de milhares desses profissionais não vacinados”.

Ele observou que apenas cerca de 10% das pessoas com mais de 80 anos tiveram as duas doses e cerca de 40% uma única vez.

Roque da Cunha diz que, ao falar em estender a vacinação aos professores, o governo está “criando expectativas” e criando “uma pressão enorme nos serviços de saúde”, dizendo que os médicos, “em vez de se preocuparem com o tratamento dos pacientes, respondem e tentam justificar o governo propaganda.”

Ele acrescentou: “É melhor para o governo parar de anunciar a esse respeito e estar certo”. Não existem vacinas. Só é possível vacinar esses grupos, inclusive os de risco, em dois, três ou quatro meses ”.

By Dinis Vicente

"Nerd de TV. Fanático por viagens. Fanático por mídia social aspirante. Defensor do café. Solucionador de problemas."

Leave a Reply

Your email address will not be published.