Secretário de Estado dos EUA / Domínio Público

O rei Salman da Arábia Saudita enviou uma declaração de condolências ao presidente brasileiro Jair Bolsonaro após os deslizamentos de terra que atingiram Petrópolis.

Em um telegrama enviado em 19 de fevereiro, Sua Majestade expressou suas “profundas condolências ao Presidente do Brasil pela triste notícia das vítimas do deslizamento de terra” e suas “sinceras condolências às famílias das vítimas e ao povo brasileiro amigável, desejando-lhes… uma rápida recuperação para os feridos e desaparecidos para um retorno seguro.”

Esses sentimentos foram ecoados no telegrama enviado pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, que também é vice-primeiro-ministro e ministro da Defesa da Arábia Saudita, ao presidente Bolsonaro.

A chuva forte começou a atingir a área na terça-feira, 15 de fevereiro, e continuou por quatro dias. Fontes locais dizem que o número de mortos chegou a 117 confirmados, com a expectativa de que mais corpos sejam recuperados da lama e dos destroços.

Petrópolis é uma cidade da era colonial na província do Rio de Janeiro e é um destino de férias popular no país. Devido à sua localização no vale da Serra dos Órgãos, é propenso a deslizamentos de terra.

No entanto, esta é a maior precipitação desde 1932 para a cidade, e o resultado é um número não especificado de pessoas ainda desaparecidas.

Enquanto a ajuda federal já foi implantada e os incentivos fiscais para moradores da região já foram aprovados, a situação se complica pela ausência do presidente Bolsonaro, que está na Europa para visitar a Rússia e a Hungria.

A Arábia Saudita mantém estreitas relações bilaterais com o Brasil, tendo estabelecido relações diplomáticas entre eles em 1968.

A Arábia Saudita é o maior fornecedor de petróleo do Brasil, o que significa que uma ruptura maciça na economia brasileira, como desastres naturais, terá um impacto significativo na demanda de petróleo da Arábia Saudita.

By

Leave a Reply

Your email address will not be published.