A produção de azeite em Portugal deverá atingir um nível recorde este ano, com um aumento de volume de 46% face a 2019 e contrastando com os “mínimos históricos” da produção de cereais de inverno, que foi atingida pela seca, segundo dados divulgado quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“As primeiras estimativas, a 31 de janeiro, apontam para uma produção recorde de azeite em 2021 (2,25 milhões de hectolitros), fruto das excelentes condições agrometeorológicas observadas ao longo da época e da criteriosa reestruturação do setor, nomeadamente a crescente importância de olivais intensivos”, A declaração do INE é lida.

“Por outro lado, os efeitos negativos da seca meteorológica severa e extrema já podem ser observados, afetando, no final de janeiro, 45% do continente”, prossegue.

“Um dos setores mais penalizados tem sido a pecuária, particularmente a pecuária extensiva, devido às más condições de pastoreio” e consequentemente à necessidade de fornecimentos extraordinários de forragens”.

Nos cereais de inverno, nota o comunicado, há também impactos ao nível da redução das áreas semeadas – que se prevê serem as mais pequenas num século – “e no fraco desenvolvimento vegetativo das culturas de sequeiro”.

“Esse cenário de seca, aliado ao aumento dos preços dos insumos, tem gerado incerteza e preocupação crescente no setor”, acrescenta a nota.

(Patrícia Dinis | Lusa.pt)

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.