Uma multidão matou um homem por supostamente queimar páginas do Alcorão no centro do Paquistão, segundo a polícia, no mais recente caso de violência relacionada à blasfêmia no país.

A polícia disse que mais de 80 pessoas foram presas em conexão com o assassinato no sábado no distrito de Khanewal, na província de Punjab.

Relatos disseram que o homem estava sob custódia policial antes de uma multidão o arrebatou.

Seu corpo foi entregue à sua família e um funeral realizado no domingo.

O primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, disse que o caso será “tratado com toda a severidade da lei” e pediu um relatório sobre os policiais acusados ​​de não cumprirem seu dever de salvar o homem.

Seu governo, disse ele, tem “tolerância zero para qualquer um que faça justiça com as próprias mãos”.

https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.1.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.2.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.3.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.4.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.5.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.6.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.7.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.8.html
https://www.openaccessjournals.com/admin/publon-images/video-sblvi-lc.9.html

O oficial de polícia Munawar Hussain disse que os policiais chegaram para encontrar o homem, supostamente na casa dos 40 anos, inconsciente e amarrado a uma árvore. Khanewal está localizado a 275 km (170 milhas) a sudoeste de Lahore.

“Os aldeões armados com cassetetes, machados e barras de ferro o mataram e enforcaram seu corpo em uma árvore”, disse Hussain à agência de notícias Reuters.

Munawar Gujjar, chefe da delegacia de polícia em Tulamba, onde o incidente aconteceu, acrescentou à agência de notícias AP que a vítima estava “mentalmente instável nos últimos 15 anos”. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

O assassinato ocorre pouco mais de dois meses depois que um gerente de fábrica do Sri Lanka foi espancado até a morte e incendiado por uma multidão por blasfêmia na cidade de Sialkot, também na província de Punjab.

As leis de blasfêmia do Paquistão acarretam uma sentença de morte potencial para qualquer um que insulte o Islã, mas os críticos dizem que elas foram usadas para perseguir religiões minoritárias e atingir minorias injustamente.

As leis têm sido usadas para acertar contas pessoais em casos que parecem ter pouco ou nada a ver com religião, de acordo com grupos de direitos humanos

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.