Um antigo presidente dos engenheiros, um engenheiro de aeródromo e um consultor aeroportuário desafiaram o Governo e a VINCI a apresentar os documentos que justificam a decisão de construir o novo aeroporto do Montijo em detrimento de Alcochete.

“Desafio a ANA/VINCI [Lisbon airport concessionaire] provar que `Aeroporto Humberto Delgado [AHD] + A solução do Montijo, que não é validada do ponto de vista ambiental, é mais barata que a construção do Novo Aeroporto de Lisboa [NAL] no Campo de Tiro de Alcochete [CTA], onde se desloca o ‘hub'”, disse à agência Lusa Carlos Matias Ramos, ex-presidente dos Engenheiros (2010-2016) e ex-presidente do LNEC.

‘Aeroporto de Lisboa – Perspectiva Estratégica de Interesse Nacional’ é o título do documento assinado pelo ex-presidente do LNEC Carlos Matias Ramos, o engenheiro de aeródromo Carlos Brás e o consultor aeroportuário, investigador do Instituto Superior Técnico (IST) e antigo quadro da ANA – Aeroportos de Portugal , Victor Rocha.

“Neste momento o país assiste a um dogma, em que se diz que o Montijo é mais barato. Isso é dogma. Alguém conhece algum documento em que se diga isso, de forma técnica, sustentada, em termos de custos e análises comparativas? Eu não sei. E eu pedi”, disse à Lusa Carlos Matias Ramos, reiterando o pedido à ANA e ao Governo para demonstrar que a option para o Montijo é mais barato do que a construção faseada do Novo Aeroporto de Lisboa (NAL) em Alcochete.

Convencido de que “a inteligência e o conhecimento” vão acabar por ultrapassar alegados fatores externos, que nada têm a ver com o interesse nacional, Carlos Matias Ramos lembrou que a resolução do Conselho de Ministros que decidiu construir o NAL em Alcochete “ainda não foi revogada.”

“Montijo é uma má solução, é terrível. Não faz sentido e é um erro estratégico para o futuro do país”, sublinhou o ex-presidente do LNEC.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.