O governo da Madeira prometeu apoiar os mais de 200 turistas ucranianos e russos ainda na região, dizendo que a embaixada russa não respondeu.

“O governo regional, através da Secretaria Regional do Turismo e Cultura, está empenhado em ajudar os turistas ucranianos e russos que se encontram na região”, refere o relatório da Madeira.

Na nota, o administrador acrescentou, “As circunstâncias são sempre acompanhadas junto dos operadores e respetivos DMCs da Madeira (a “agência gestora de destino”) e da Direção Regional das Comunidades e Cooperação Externa e Estrangeiros (SEF).

O espaço aéreo foi encerrado devido à invasão russa e conflito na Ucrânia A chegada de 189 turistas ucranianos e 220 russos à Madeira foi surpreendente.

Cerca de 80 ucranianos deixaram a região no sábado em uma tentativa de se conectar com um aeroporto na Lituânia. O avião que transportava 220 russos para Moscou no domingo não estava funcionando.

Apoio a turistas de ambos os países

Na sexta-feira, o chefe do governo madeirense, Miguel Albuquerque, anunciou que a região vai apoiar os turistas dos dois países, e que o executivo madirense deu vários passos nesse sentido.

Numa nota distribuída hoje, o governo madirense sublinha que “apesar das diferentes circunstâncias, foca-se nas necessidades de ambos os grupos de turistas”.

O documento citou o secretário regional Eduardo Jesus dizendo: “Para qualquer comunidade, o processo passa pelo SEF”.

“Muitos vistos de viagem estão a acabar”, diz Eduardo Jesus, mas “o SEF está pronto a prorrogá-los para que possam ser usados ​​na viagem de regresso”.

Para a solução de backlink, observa, “há várias soluções em cima da mesa, uma das quais está em análise”.

“Esta é uma medida que envolverá o triângulo de outros países, desenvolvendo assim ainda mais os laços com a Rússia e criando a oportunidade para cerca de 200 turistas retornarem por aqui”, diz a nota.

Sem resposta

O governo regional espera “ter algumas informações mais definitivas sobre esta situação”, mas insiste que “para já, ainda não há resposta da embaixada russa em Lisboa”.

“Neste momento, os cidadãos ucranianos e os cidadãos russos estão protegidos pelo governo regional da Madeira, que providenciou alojamento para ambos os grupos”, garante o responsável que estão envolvidos “70 turistas ucranianos e 188 russos”.

Eduardo Jesus defende que o mecanismo implementado para o efeito deve “criar uma situação na lógica do apoio social” que represente o envolvimento da Segurança Social, permitindo a continuidade através da Secretaria Regional do Conteúdo Social e Cidadania “para a protecção destas pessoas” e “para uma melhor integração de todos os interessados”.

“O objetivo do governo regional é trazer soluções para esses cidadãos o mais rápido possível, não só para aqueles que serão acolhidos localmente, mas também para aqueles que desejam retornar às suas casas”.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.