A populosa vila de Portimão soube hoje que vai juntar-se ao resto do país em termos de desmantelamento.

Cafés, restaurantes e lojas podem reabrir suas portas; Os centros comerciais podem finalmente começar a negociar novamente: a vida pode restaurar uma aparência de normalidade e uma economia local em crise pode iniciar um longo e difícil caminho para a recuperação.

Outros bairros que se libertaram do nível de restrições que lhes são impostas são Aljezur, Miranda do Douro e Valongo.

Odemira mantém ainda dois “ cordões saudáveis ​​” à volta das freguesias de Almograve e São Teotónio, mas os casos de vírus estão a diminuir continuamente, pelo que as restrições são um pouco menos severas. As pessoas devem ter permissão para entrar e sair da cidade por “razões substanciais”, incluindo trabalho.

Fora isso, ainda são poucos os bairros que não estão alinhados com a imagem nacional.

Cabeceiras do Basto, por exemplo, teve que “ dar um passo atrás ” (desmontar o palco 3 onde restaurantes e cafés não permitem a entrada de pessoas), e Carregal do Sal, Resende e Paredes “ ficaram onde estão ” (que é Desmontagem) a segunda etapa para a primeira e segunda etapas, e a terceira etapa para Paredes).

As ações agora são analisadas por semana (não a cada duas semanas como era a prática anterior). O primeiro-ministro Antonio Costa não introduziu as mudanças hoje. O cargo ficou a cargo da Ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, que destacou as melhorias que Portugal fez em geral.

“Em dois meses, o número de casos caiu pela metade, de 118,49 para 59 por 100.000 em 14 dias. É um sinal de que a epidemia está sendo controlada, embora tenha havido surtos em algumas áreas.”

No entanto, vinte e três distritos continuam em estado de alerta: o que significa que se não reduzirem o seu número, também se arriscam a novas restrições.

Esses bairros são: Alpiarça, Alvaiázere, Arganil, Beja, Castelo de Paiva, Coruche, Fafe, Figueiró dos Vinhos, Fornos de Algodres, Golegã, Lagos (o único da lista no Algarve), Lamego, Melgaço, Oliviera do Hospital, Paços de Ferreira, Penafiel e Peniche Ponte da Barca, Ponte de Lima, Santa Comba Dão, Tábua, Vale de Cambra e Vidigueira.

As alterações entram em vigor a partir de sábado – o que significa que os restaurantes de Portimão podem finalmente abrir as portas ao negócio no fim-de-semana após três semanas desoladas de frio, e receber de volta em casa até às 22h30 todos os dias.

natasha.donn@algarveresident.com

By Dinis Vicente

"Nerd de TV. Fanático por viagens. Fanático por mídia social aspirante. Defensor do café. Solucionador de problemas."

Leave a Reply

Your email address will not be published.