O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) considerou ser “muito provável” que a seca meteorológica se agrave em Portugal continental durante o mês de fevereiro, salientando que se agravou durante o mês de janeiro.

Em boletim, o IPMA indica que a seca que começou no passado mês de novembro “continua e agravou-se até à data de 25 de janeiro”: 54 por cento do território encontra-se em seca moderada, 34 por cento em seca severa e 11 por cento em seca extrema.

A curto prazo, o IPMA não prevê chuvas significativas até 3 de fevereiro, pelo que “será muito provável um agravamento da situação de seca meteorológica no final de fevereiro, em todo o continente”.

Para “reduzir significativamente” ou acabar com a seca, seriam necessários mais de 200 a 250 milímetros de chuva no norte e centro do país, e mais de 150 milímetros no sul, algo que “só ocorre em 20 por cento dos anos” .

Atualmente, a seca é “ligeiramente inferior” ao que era no final de janeiro de 2005, ano com a pior seca das últimas duas décadas.

Todos os meses desde outubro passado foram “muito secos” e apenas 45% da precipitação média para o mesmo período entre 1971 e 2000 ocorreu.

Entre 1 e 25 de janeiro choveu um quarto dessa média e o mês está a caminho de se tornar um dos “três janeiros mais secos dos últimos anos”.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published.