Um novo protocolo vai permitir a disponibilização de um total de 123 camas em apartamentos partilhados para os sem-abrigo no Algarve.

“Dentro de um ano, isso significará que mais de 100 pessoas foram retiradas das ruas, o que é extraordinário”, disse à Lusa a coordenadora da Estratégia Nacional de Inclusão de Pessoas em Situação de Rua.

Henrique Joaquim disse que os primeiros protocolos relacionados com esta resposta aos sem-abrigo do Algarve foram assinados há cerca de um ano, criando cerca de 70 camas.

O responsável explicou que este modelo, que é gerido por empresas sociais, com apoio das autarquias e financiado pela Segurança Social, inclui também acompanhamento por parte de técnicos.

“Há aqui um tripé, entre a formação, o aumento do número de vagas e a resposta das instituições, que tem tudo para aumentar os resultados positivos que já começam a aparecer de forma muito importante. A minha avaliação do Algarve é muito bom”, disse ele, acrescentando que espera que a economia melhore para que essas pessoas possam aproveitar as oportunidades disponíveis para eles.

Os protocolos garantiram a existência de respostas deste tipo em oito concelhos da Província de Faro: Albufera, Faro, Lagoa, Lagos, Lule, Portimão, Tavira e Villa Real de Santo António.

By

Leave a Reply

Your email address will not be published.