O embaixador da Ucrânia em Portugal pediu nesta segunda-feira ao governo português que apoie a entrada do país na União Europeia e considere a possibilidade de romper os laços com a Rússia, agradecendo as sanções e a ajuda militar.

“As sanções impostas pela União Europeia, incluindo Portugal, são muito eficazes no domínio da economia”, “Essas medidas afetam a economia russa e isso pode ajudar a Rússia a considerar necessário parar a guerra contra a Ucrânia”, disse a embaixadora ucraniana, Inna Onevites, que também destacou a proibição de empresas russas no espaço aéreo europeu.

Em conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, para apresentar medidas de apoio às famílias ucranianas na capital portuguesa, a Inna Univets solicitou o apoio de Portugal para a iniciativa anunciada pelo Presidente da Ucrânia de adesão à União Europeia.

“Gostaríamos também de pedir, em consideração, a possibilidade de romper as relações entre Portugal e a Federação Russa. Esta medida é muito dura, mas justa neste momento, porque atualmente temos a situação em que os ocupantes russos estão matando. Eles estão matando o Ucranianos em nosso país, e eles são as crianças. Já morreram 16 crianças”.

Agradeceu a Portugal a ajuda no fornecimento de ajuda militar e materiais, dizendo tratar-se de um “forte sinal” ao povo ucraniano e sublinhando que o exército ucraniano está “lutando muito bem”, mas que também é necessária a ajuda da União Europeia.

By

Leave a Reply

Your email address will not be published.