Alcarve MP Cristóvão Norde foi entrevistado hoje pela Sky News, onde reiterou a sua convicção de que as autoridades britânicas distorceram a verdade – ao fazê-lo “semeou o medo de Portugal não só no Reino Unido mas noutras partes da Europa”.

Fazendo eco da explicação do especialista do INSA (Instituto Português de Saúde Pública Dr. Ricardo Jorge), Jono Palo Gomez (clique aqui), Norde qualificou a decisão britânica de “irresponsável”.

A ‘mutação do Nepal’ da variante indiana foi registrada em apenas 12 casos em todo o país (não nos 66 casos argumentados pelo governo britânico).

Até quinta-feira passada (quando o Reino Unido anunciou que iria retirar Portugal da sua ‘lista verde’ para viagens isoladas), ele escreveu na sua página do Facebook que “ninguém ouviu falar da mutação no Nepal”.

“O governo (português) deve recuperar a verdade”, diz Norde. “É seu dever alertar o Reino Unido de que não aceitamos que as justificativas usadas para a decisão sejam baseadas em propaganda infundada que pode manchar a reputação de um país seguro e harmonioso”.

O Sr. Norde disse ao editor político da Sky, Adam Bolton: “As pessoas precisam ter cuidado com suas palavras. Temos apenas 12 casos (mutação no Nepal) e não precisamos de confusão. Se você quiser ler, faça. Mas estamos em uma situação ruim e não começamos a dizer às pessoas que justifiquem sua decisão de que não estamos. ”

Outra voz, Sr. Norde, disse: “Não posso dizer ao governo britânico o que isso significa.”

O presidente da Associação Regional de Turismo, João Fernandez, já qualificou a decisão de “uma questão de política interna, não de risco” – e o parecer científico do INSA – pelo facto de estar na vanguarda da resposta da autoridade sanitária – não encontra dados para apoiá-lo.

Mas Norde levou o atentado de forma muito pessoal para seu eleitorado regional. Ele escreve: “Alguém sabe se alguém vai levar a família para um lugar onde haja uma variação da qual ninguém ouviu falar e se será resistente à vacina? A decisão britânica é legítima, mas não baseada em equívocos. “

Desde que ouviu Portugal, o Sr. Norde deu entrevistas a vários elementos de jornais britânicos, incluindo a BBC e a LBC Radio, uma vez que não é considerado um “país seguro” para viajar para o Reino Unido. Todos foram concebidos para “proteger o interesse nacional de Portugal na cena internacional”.

Enquanto isso, o Journal de Notices tem relatado uma longa fila no Aeroporto Far, enquanto os frustrados britânicos voltavam para casa antes do prazo final de 4h da terça-feira.

O estudo diz: “A Grã-Bretanha perde US $ 300 (cada) para voltar ao Reino Unido.”

Para uma entrevista completa da Sky News com Cristo Norde Clique aqui

natasha.donn@algarveresident.com

By Dinis Vicente

"Nerd de TV. Fanático por viagens. Fanático por mídia social aspirante. Defensor do café. Solucionador de problemas."

Leave a Reply

Your email address will not be published.