Althahbiah

Informações sobre Portugal.

A União Europeia aprovou novas regras de transparência tributária para empresas multinacionais


BRUXELAS (Reuters) – Os Estados membros da União Europeia e membros do Parlamento Europeu chegaram a um acordo na terça-feira sobre medidas mais duras de transparência tributária para empresas multinacionais, à medida que aumentava a pressão internacional por mais fiscalização das grandes empresas.

A diretiva será aplicável a empresas multinacionais com um volume de negócios anual superior a 750 milhões.

Terão de declarar os seus rendimentos, o número de pessoas que empregam e o valor dos impostos que pagam em cada país da UE onde trabalham Bem como em países incluídos na lista negra de paraísos fiscais da UE.

O acordo foi aprovado pelos negociadores, mas ainda tem de ser formalmente aprovado pelos eurodeputados em sessão plenária do Parlamento da UE e pelo Conselho Europeu.

Mas Portugal, que atualmente detém a presidência rotativa semestral do Conselho Europeu, saudou o compromisso com a divulgação de informações públicas por país como um grande passo em frente para a justiça fiscal.

Vários grupos políticos do Parlamento Europeu, incluindo os sociais-democratas e o Partido Verde, também saudaram o desenvolvimento.

Mas alguns ativistas pela justiça tributária disseram que as medidas não eram suficientes.

O novo acordo surge no momento em que o presidente dos EUA, Joe Biden, pressiona a necessidade de um imposto mínimo de 15% para as empresas multinacionais para apoiar a agenda internacional.

Os ministros das finanças do Grupo dos Sete países ricos devem discutir a proposta de Biden em uma reunião em Londres na sexta-feira.

As ações da UE foram propostas pela primeira vez na sequência de uma série de escândalos financeiros internacionais que foram expostos em investigações importantes, como os LuxLeaks e os Panama Papers.

READ  Morgan Stanley pays $ 1.7 million to 529 plan investors for a high fee

“Numa altura em que os nossos cidadãos tentam fazer face aos efeitos da pandemia, é mais do que nunca necessário exigir uma verdadeira transparência financeira”, afirmou o ministro da Economia de Portugal, Pedro Sisa Vieira.

Prejuízos estimados da UE por evasão fiscal 50 bilhões por ano.

Mas a Transparência Internacional da União Europeia disse que a medida proposta não funcionaria.

“A legislação da UE sobre relatórios país por país a serem finalizados não é adequada para o propósito”, escreveu o grupo de campanha no Twitter.

“Não se aplicará à maioria das operações da empresa e a evasão fiscal continuará.”